Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Lista de Contos de Fonjic
 Arquivo de contos de Fonjic
 Tripas
 Texto Livre
 Spectro Editora
 Bukowski
 John Fante
 Sig Schaitel - tradutor do Bukowski
 Ciberarte
 Atire no Dramaturgo
 Espelunca
 Casa dos espelhos
 Mais livros do Bukowski
 Vulva Museum
 Proselitismo Ateu


XML/RSS Feed

Histórico
 26/08/2012 a 01/09/2012
 28/02/2010 a 06/03/2010
 14/02/2010 a 20/02/2010
 07/02/2010 a 13/02/2010
 25/10/2009 a 31/10/2009
 27/09/2009 a 03/10/2009
 20/09/2009 a 26/09/2009
 13/09/2009 a 19/09/2009
 06/09/2009 a 12/09/2009
 30/08/2009 a 05/09/2009
 23/08/2009 a 29/08/2009
 16/08/2009 a 22/08/2009
 09/08/2009 a 15/08/2009
 02/08/2009 a 08/08/2009
 26/07/2009 a 01/08/2009
 19/07/2009 a 25/07/2009
 12/07/2009 a 18/07/2009
 05/07/2009 a 11/07/2009
 28/06/2009 a 04/07/2009
 21/06/2009 a 27/06/2009
 14/06/2009 a 20/06/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 31/05/2009 a 06/06/2009
 24/05/2009 a 30/05/2009
 10/05/2009 a 16/05/2009
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 25/11/2007 a 01/12/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 12/11/2006 a 18/11/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 05/02/2006 a 11/02/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 09/10/2005 a 15/10/2005
 03/07/2005 a 09/07/2005
 13/02/2005 a 19/02/2005
 21/11/2004 a 27/11/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 11/07/2004 a 17/07/2004
 04/07/2004 a 10/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 20/06/2004 a 26/06/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004
 25/04/2004 a 01/05/2004


 
Uretrite: contos de Fonjic
 

Born into this

novo documentário sobre bukowski, com gravações dele desde os 60 até os anos 90. imperdível. O link para a gravadora do filme está na página da Spectro: http://www.spectroeditora.com.br/noticias.php

 Escrito por Anacreonte às 04h48 [ ] [ envie esta mensagem ]



Novo espaço

A spectro editora está colocando um espaço destinado a autores no seu site. Além de autores que buscam divulgação sem pagar nada, ainda terá aqueles autores indispensáveis como Bukowski e Fante.

 Escrito por Anacreonte às 14h18 [ ] [ envie esta mensagem ]



Sinfonia da derrota

 

            A bebida me levou à insônia. E a insônia me levou a mais bebida. E essa é a fórmula geral da felicidade que sustêm juntos os laços da realidade.

            Ruídos de merda saíam de meus dedos, enlouquecendo. Tudo parecia fazer parte da enorme sinfonia do desconforto. Eu perdera a sanidade, e logo levariam de mim todos os títulos que eu conquistara. Desde a medalha do verme conquistador até o obelisco de marfim.

            Elefantes morango-achocolatados invadiam meus pensamentos e eu sabia que era o fim. Meu talento acabara. Queijo Cheddar de Pennis Altíssimus.

            A campainha toca e é uma vendedora de escravas brancas. Hoje ela tem em promoção uma menina belga de doze anos que já sabe chupar como gente grande. Eu digo que estou sem dinheiro e fica pra outro dia.

            A casa de um escritor é seu espaço impenetrável e incompreensível. A casa violada de um escritor é como um caramujo com a concha encharcada de esperma, inútil e impossível de ser habitada.

            A campainha toca novamente e é a síndica. Veio me avisar que eu ando muito recluso e corro o risco de ser expulso do prédio acusado de comportamento anti-social. Eu prometo a ela que dedicarei mais tempo para andar pelo pátio e sorrir para as pessoas. Isso a faz contente e ela me deixa novamente em paz. Na paz de meus tormentos pessoais incessantes.

            Fecho os olhos e sonho. O cansaço é tanto ultimamente que não consigo mais o sono interrupto, de forma que ele me assalta em pequenos intervalos ao longo do dia. Sonho com um austríaco barbudo que me convida a atravessar um jardim de pedra. Whadda fock? Pergunto a ele em um inglês polido e ele me explica que me encontrará do outro lado.

            Em um minuto ele sumiu e tudo que restou sou eu e as pedras. A imóveis insípidas e insignificantes pedras, que enfeiam a paisagem. Ainda assim o clima de sombria secura me assusta e eu sei que jamais serei capaz de tocar nas pedras deste jardim. O jardim de pedras. Cada pedra é um seio a ser tocado, uma vulva a ser penetrada.

            Me excito com a idéia de encontrar nas pedras algum buraco onde eu possa me enfiar e fuder a pedra até que o sangue brote. Você é um incorrigível, Anacreonte, berra o fantasma do natal futuro. Vai te fuder, eu respondo, eu nem sequer leio Dickens. A vez se cala. Meu Dickens já não pulsa mais ansioso pelas pedras e eu percebo que isto é um trocadilho horroroso. Tudo de muito mal gosto, inclusivo o jardim de pedras feito de isopor e gesso. Um cenário falso e grotescamente patético. Meus sonhos têm essa capacidade estonteante de se perverterem em réplicas mal-feitas deles mesmos. Corte de orçamento, é isso, o cérebro está tão esgotado que nem se esforça mais em fazer sonhos decentes.

            As pedras começam a desabar e derreter, como isopor na gasolina. Percebo o quanto tudo é mal-feito, a começar pelo principio. A própria idéia de um jardim de pedras de inalcançável erotismo vem do sobrenome de uma atriz dinamarquesa morta cujo filme assisti de madrugada e me entristeci em saber que jamais tocaria naqueles seios convidativos. Jardim de pedra era o sobrenome dela na bela língua de Hamlet.

            A simples tomada de consciência disso criou um pânico no jardim, como se eu pronunciasse em voz alta um terrível segredo que devesse ficar calado. Acordo suando caído no chão da cozinha. Minha cerveja está em pé do meu lado e eu fico feliz por ter conseguido desmaiar sem derrubar a cerveja. Ainda está gelada, de forma que tudo deve ter durado pouco mais que alguns minutos.

            Vou em todas as portas e janelas do meu apartamento e verifico se está tudo trancado. Tudo tranqüilo, ninguém entrou enquanto eu estava apagado. É preciso ficar de olho neles, meu caro, minha voz interna diz. Eu sei, respondo. Você está ficando paranóico, meu caro, louco, louco, diz a voz. É... eu sei, respondo. E isso não é nada bom, meu caro, insiste a voz. É... é... eu sei.



 Escrito por Anacreonte às 01h44 [ ] [ envie esta mensagem ]



 

uma nova experiência... ainda em construção, mas futuramente commuitos autores em http://www.spectroeditora.com.br/autores/



 Escrito por Anacreonte às 17h07 [ ] [ envie esta mensagem ]



Depois de um mês...

Finalmente consegui tranferir essa porra para o uol... não que eu ame o uol, mas tem a vantagem de já vir os comentários e contador no pacote, enquanto no servidor antigo eu tinha que ficar usando script de outros servidores...

Nesse meio tempo já saiu o segundo buk

já esfriou mais ainda

já queimou minha placa mãe e tive que trocar de computador

já levei bronca do orientador por estar com 2 meses de atraso

já aumentei um pouco mais o comprometimento cirrótico do meu fígado

mas ainda não abriu um novo francke....

franckeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!!!!!!!!!!!

se alguém quiser convites gratuitos pro orkut deixa o mmail aqui que eu mando o convite... tinha que ser um maldio dinamarques para ter essa ideia mala de convites...



 Escrito por Anacreonte às 16h02 [ ] [ envie esta mensagem ]