Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Lista de Contos de Fonjic
 Arquivo de contos de Fonjic
 Tripas
 Texto Livre
 Spectro Editora
 Bukowski
 John Fante
 Sig Schaitel - tradutor do Bukowski
 Ciberarte
 Atire no Dramaturgo
 Espelunca
 Casa dos espelhos
 Mais livros do Bukowski
 Vulva Museum
 Proselitismo Ateu


XML/RSS Feed

Histórico
 26/08/2012 a 01/09/2012
 28/02/2010 a 06/03/2010
 14/02/2010 a 20/02/2010
 07/02/2010 a 13/02/2010
 25/10/2009 a 31/10/2009
 27/09/2009 a 03/10/2009
 20/09/2009 a 26/09/2009
 13/09/2009 a 19/09/2009
 06/09/2009 a 12/09/2009
 30/08/2009 a 05/09/2009
 23/08/2009 a 29/08/2009
 16/08/2009 a 22/08/2009
 09/08/2009 a 15/08/2009
 02/08/2009 a 08/08/2009
 26/07/2009 a 01/08/2009
 19/07/2009 a 25/07/2009
 12/07/2009 a 18/07/2009
 05/07/2009 a 11/07/2009
 28/06/2009 a 04/07/2009
 21/06/2009 a 27/06/2009
 14/06/2009 a 20/06/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 31/05/2009 a 06/06/2009
 24/05/2009 a 30/05/2009
 10/05/2009 a 16/05/2009
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 25/11/2007 a 01/12/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 12/11/2006 a 18/11/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 05/02/2006 a 11/02/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 09/10/2005 a 15/10/2005
 03/07/2005 a 09/07/2005
 13/02/2005 a 19/02/2005
 21/11/2004 a 27/11/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 11/07/2004 a 17/07/2004
 04/07/2004 a 10/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 20/06/2004 a 26/06/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004
 25/04/2004 a 01/05/2004


 
Uretrite: contos de Fonjic
 

Dos filmes dos meus sonhos

                                                                                                Fonjic

 

            Longa é a dor que me faz pegar na escrita depois de tão longa ausência. Mas o motivo é nobre e a intenção não podia ser melhor. Pois não é justo que só de críticas negativas sobreviva a humanidade, sem elogios naquilo que de melhor ela faz.

            E não é outro o caso aqui, senão a suma realização da espécie humana através das artes. Estou a me referir, é claro, ao indescritível clássico da filmografia moderna, ainda que com um texto um tanto antigo: Rhyme of the ancient mariner.

            O filme, dirigido por Jorge Romero e produzido por Roger Corman, começa de forma triunfante. Pierce Brosnan faz o papel de um milionário excêntrico. Em sua lancha, em alto mar, sete moças de topless o chamam para provar as delícias do mar, mas ele, sempre ocupado, continua trancado em sua cabine. Na verdade, esta é a única tomada em que ele aprece, acenando ao longe para as garotas. Depois o personagem torna a aparecer de costas, então interpretado por um dublê.

            Em sintonia com a modernidade e o espírito multi-étnico, as garotos a bordo são de todas as cores e tamanhos: Lucy Liu, fazendo o papel de oriental, seguida por Naomi Campbel, de afro-americana, Ornela Muti, de mexicana, Pamela Anderson, no papel de loira peituda, Liv Tyler no papel de moça comum e mais duas figurantes que só aparecem de revesgueio.

            Após a recusa do milionário elas começam a despir-se e jogar água umas nas outras na piscina do barco. Uma delas faz uma careta e aponta para um ponto preto no horizonte. O ponto se aproxima rapidamente e logo se vê que é um imenso barco. Desesperadas elas começam a correr em círculo tentando a fuga, quando o barco é abordado e zumbis piratas atacam o barco, subindo a bordo e devorando as moças, sugando tripas, partindo crânios e bebendo sangue.

            Um letreiro vermelho em letras pingando sangue surge na tela com o nome do filme. Em seguida vem os nomes dos atores, com destaque para o nome de Pierce Brosnan, embora ele não vá mais aparecer na película.

            Após longa seqüência do gigantesco elenco, somos transportados em flashback para o início da história. Uma grande angular cobre o oceano, aproximando-se da terra e dando o zoom. Lá marinheiros zanzam atarefados carregando o navio. Tudo isso aparece na tela enquanto a voz de Vincent Price narra o poema completo de Coleridge que intitula o filme. Após cerca de vinte minutos, o navio zarpa e acompanhamos a saga de um velho marinheiro, interpretado por Robert Redford, que mata um albatroz e o pendura no pescoço. Logo o tempo se fecha e um navio com a morte chega, interpretada por Rutger Hauer. Após mais quinze minutos de trama, a morte finalmente mata a todos os membros da tripulação, que caem mortos para em seguida virarem zumbis. Já nosso anti-herói rejuvenesce para seus vinte anos e passa a ser interpretado por Kevin Bacon. Ele é incumbido pela morte da missão de formar um gigantesco exército zumbi e dominar o mundo.

            Após tudo isso, voltamos do flashback ao momento do primeiro ataque do navio zumbi. As sete garotas originais se tornam, em seguida, as sete generais da destruição, todas zumbis de topless. Alguns críticos apontaram nisso uma falha do filme, pois não está bem claro porque os zumbis preferiram as carnes do estômago e os miolos, mas preservaram os seios intactos. Eu chamo a isso de liberdade poética, e quem não souber apreciar uma bela obra de arte que não reclame.

            A seguinte meia hora de filme mostra vários ataque e cenas sangrentas de corpos sendo destroçados e devorados. Quando a fragata cresce o suficiente, começam os ataque às naves militares. No ápice da ação, os zumbis conquistam todos os barcos do mundo a atacam ilhas do Pácifico, Austrália e Inglaterra.

            Uma força tarefa é chamada para detê-los, composta por Sean Connery, Charlie Sheen, Jack Nicholson e Drew Barrymore, que só está lá porque financiou o filme. Depois de inúmeras batalhas perdidas nossos heróis vão ao túmulo de Bela Lugosi e o ressuscitam. Bela se junta ao time e começa montar um enorme exército de vampiros. Segue-se uma batalha campal gigantesca e monstruosa, de vampiros contra zumbis. Destaque para a cena em que o zumbi Luci Liu degola um lobisomem que corria em fuga para a floresta.

            A batalha ameaça se estender pela eternidade, uma vez que se trata de uma batalha de mortos entre si, frustrando os planos de dona morte (Rutger Hauer) que visava o triunfo dos mortos sobre os vivos. Dona morte intervêm propondo à equipe de heróis a decisão do destino da terra num clássico jogo de xadrez. Os heróis decidem tirar no palitinho para ver o escolhido que jogará com a morte, mas Sean Connery é mais rápido e mata os outros três antes do sorteio para evitar contratempos futuros.

            Sabendo impossível ganhar da morte no xadrez, Sean Connery põe sua famosa sunga de combate para o jogo, ganhando assim por WO.

            A maldição é quebrada. Os mortos vivos voltam a ser mortos (incluindo o valente Bela Lugosi e seu exército de vampiros), Kevin Bacon volta a ser Robert Redford para em seguida virar pó, o albatroz cai de seu pescoço e uma longa cena panorâmica se afasta da terra voltando novamente para o mar enquanto o público é novamente brindado com a voz de Vincent Price, agora lendo a última estrofe de Anabel Lee.

            Lágrimas brotam das faces do público e os fôlegos se soltam dos pulmões tensos da platéia, que explode em palmas. Embora polêmico por causa das referências à grande crise mundial da contemporaneidade, não restam dúvidas. Este filme trata-se de um novo clássico.

 



 Escrito por Anacreonte às 16h21 [ ] [ envie esta mensagem ]