Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Lista de Contos de Fonjic
 Arquivo de contos de Fonjic
 Tripas
 Texto Livre
 Spectro Editora
 Bukowski
 John Fante
 Sig Schaitel - tradutor do Bukowski
 Ciberarte
 Atire no Dramaturgo
 Espelunca
 Casa dos espelhos
 Mais livros do Bukowski
 Vulva Museum
 Proselitismo Ateu


XML/RSS Feed

Histórico
 26/08/2012 a 01/09/2012
 28/02/2010 a 06/03/2010
 14/02/2010 a 20/02/2010
 07/02/2010 a 13/02/2010
 25/10/2009 a 31/10/2009
 27/09/2009 a 03/10/2009
 20/09/2009 a 26/09/2009
 13/09/2009 a 19/09/2009
 06/09/2009 a 12/09/2009
 30/08/2009 a 05/09/2009
 23/08/2009 a 29/08/2009
 16/08/2009 a 22/08/2009
 09/08/2009 a 15/08/2009
 02/08/2009 a 08/08/2009
 26/07/2009 a 01/08/2009
 19/07/2009 a 25/07/2009
 12/07/2009 a 18/07/2009
 05/07/2009 a 11/07/2009
 28/06/2009 a 04/07/2009
 21/06/2009 a 27/06/2009
 14/06/2009 a 20/06/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 31/05/2009 a 06/06/2009
 24/05/2009 a 30/05/2009
 10/05/2009 a 16/05/2009
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 25/11/2007 a 01/12/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 12/11/2006 a 18/11/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 05/02/2006 a 11/02/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 09/10/2005 a 15/10/2005
 03/07/2005 a 09/07/2005
 13/02/2005 a 19/02/2005
 21/11/2004 a 27/11/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 11/07/2004 a 17/07/2004
 04/07/2004 a 10/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 20/06/2004 a 26/06/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004
 25/04/2004 a 01/05/2004


 
Uretrite: contos de Fonjic
 

Corredeira

            Visitando os parentes em Governador Celso Ramos foi que ouvi do seu Zezo, um pescador, a chave para a compreensão da vida. Diz ele sempre que quando os maratonistas de uma prova atlética estavam pra partir, um pescador lá no meio falou: vamos todos correr, mas só um será vencedor, por que não paramos então para conversar?”

            Seu Zezo nunca nos revelou o que aconteceu depois disso e sempre que eu pergunto ele muda a conversa para como vai ser a pesca da tainha neste ano, ou do camarão, ou da lula...

            A verdade é que seu Zezo conseguiu entender a essência que distingue o pescador do ser urbano apressado. O pescador vive dos ciclos da natureza, é como as marés, as estações do ano, os cardumes. O grande negócio do pescador não é a arte de lançar a tarrafa, nem a barganha no preço do pescado, mas sim a compreensão do ciclo natural do mundo ao redor. Uma vez compreendido e interiorizado, esse ciclo se torna mais do que aquela informação essencial da pesca, onde vai dar boa a tarrafada neste ano, se o frio vem mais cedo ou mais tarde, as ondas, os ventos. O pescador artesanal vive dos ciclos e passa a entender que faz parte também deles, que tem seu próprio lugar na ordem natural do mundo. Que embora ele triunfe sobre o cardume, depende deles para sobreviver.

            É o oposto da pesca predatória que precisa retirar o máximo da água para maximizar o lucro, até que os cardumes estejam extintos e o próprio negócio acabe. Ou da pessoa que desde cedo tem que estudar para ser o primeiro aluno da turma. Mas então descobre que essa é uma corrida difícil de vencer, que ele terá que ser também o primeiro nos exames, e vai ter que correr mais rápido que isso, terá que ser o primeiro no emprego para não ser demitido e passar fome, terá que ser o primeiro entre os vizinhos, o primeiro a ter tevê de plasma, o primeiro a ter geladeira com DVD embutido, o primeiro a ter o último lançamento do supérfluo indispensável.

            E ele estufa então o peito, orgulhoso pelo trajeto percorrido, mas descobre que por mais que tenha corrido há muitos corredores ainda ao lado dele e ele precisa correr mais e mais para chegar em primeiro. É preciso abandonar o último resto do humanidade e virar a máquina perfeita de correr e matar.

            E todos os anos ainda ligo a tevê para ver as grandes corridas. Com expectativa crescente espero o momento da largada quando, para minha decepção, logo dado o sinal, saem todos correndo, apalermados. Desligo triste sabendo que falta muito ainda para eles compreenderem.



 Escrito por Fonjic às 03h16 [ ] [ envie esta mensagem ]