Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Lista de Contos de Fonjic
 Arquivo de contos de Fonjic
 Tripas
 Texto Livre
 Spectro Editora
 Bukowski
 John Fante
 Sig Schaitel - tradutor do Bukowski
 Ciberarte
 Atire no Dramaturgo
 Espelunca
 Casa dos espelhos
 Mais livros do Bukowski
 Vulva Museum
 Proselitismo Ateu


XML/RSS Feed

Histórico
 26/08/2012 a 01/09/2012
 28/02/2010 a 06/03/2010
 14/02/2010 a 20/02/2010
 07/02/2010 a 13/02/2010
 25/10/2009 a 31/10/2009
 27/09/2009 a 03/10/2009
 20/09/2009 a 26/09/2009
 13/09/2009 a 19/09/2009
 06/09/2009 a 12/09/2009
 30/08/2009 a 05/09/2009
 23/08/2009 a 29/08/2009
 16/08/2009 a 22/08/2009
 09/08/2009 a 15/08/2009
 02/08/2009 a 08/08/2009
 26/07/2009 a 01/08/2009
 19/07/2009 a 25/07/2009
 12/07/2009 a 18/07/2009
 05/07/2009 a 11/07/2009
 28/06/2009 a 04/07/2009
 21/06/2009 a 27/06/2009
 14/06/2009 a 20/06/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 31/05/2009 a 06/06/2009
 24/05/2009 a 30/05/2009
 10/05/2009 a 16/05/2009
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 25/11/2007 a 01/12/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 12/11/2006 a 18/11/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 05/02/2006 a 11/02/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 09/10/2005 a 15/10/2005
 03/07/2005 a 09/07/2005
 13/02/2005 a 19/02/2005
 21/11/2004 a 27/11/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 11/07/2004 a 17/07/2004
 04/07/2004 a 10/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 20/06/2004 a 26/06/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004
 25/04/2004 a 01/05/2004


 
Uretrite: contos de Fonjic
 

Monóculos

            Devo admitir que Machado é o pai de todos nós. Ele é assassinado diariamente em todas as escolas do país, onde os alunos aprendem a sair de lá o odiando, sem nunca conhecer sua obra. Um dos erros mais estúpidos ensinados em sala de aula é dizer que ele era naturalista ao falar do ato de tirar as botar em um livro. Pelo contrário, é uma das mais cruéis passagens da literatura brasileira, em que ele termina o namoro com uma mulher porque ela tinha uma deficiência física e compara a mulher a uma bota, igualando a alegria de se livrar dela com a o alívio de tirar as botas que apertam o pé.

            Machado tinha uma ironia ácida camuflada em fraseado calmo, a fina flor de uma técnica inglesa que ele trouxe para o Brasil. Eu mesmo odiei Machado boa parte da vida, não entendia como ele podia dizer umas barbaridades daquelas, pois nem eu nem meus professores sabíamos o que era ironia.

            Quando descobri foi como uma venda tirada dos olhos. Todo texto do Machado tem várias camadas de leitura, quanto mais aprofunda, mais cruel fica. A transição de império para república, o fato político mais importante de seu tempo, só uma vez é representada por ele, quando o dono de uma bodega muda o nome de Império para República. O resto ficava tudo igual, exatamente o que aconteceu conosco.

            Mas é nas crônicas que Machado foi ainda melhor, ainda que obra quase desconhecida. Quando da criação dos jogos olímpicos modernos ele ataca dizendo que era uma vergonha botar pessoas na pista correndo como cães, sendo ainda mais sem graça, pois ao menos nos cães se podia apostar.

            Foi ele quem reparou que não era preciso falar de sua terra para eternizá-la, dando como exemplo Shakespeare, que eternizou o pensamento inglês com seus dramas sobre Dinamarca, Roma, e outros lugares.

            Ainda mais, Machado foi nosso precursor do Michael Jackson. Não, por favor leitor, não largue a crônica agora ofendido. É que cem anos antes de Michael Jackson ficar famoso e embranquecer, Machado conseguiu o mesmo feito misterioso por aqui. Quando pegamos as fotos dele jovem está com a pele bem negra, o nariz negro etc. A medida que fica famoso os retratistas começam a apresentá-lo mais branco, de nariz mais fino, quase um eslavo.

            Misterioso fenômeno esse, ainda inexplicado. Reparem que o Obama segue a mesma trilha, já aparece mais branco nas fotos agora do que antes da eleição e em oito anos estará mais branco que o Bush. Admirável era em que vivemos, plena de miragens.



 Escrito por Fonjic às 08h50 [ ] [ envie esta mensagem ]