Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Lista de Contos de Fonjic
 Arquivo de contos de Fonjic
 Tripas
 Texto Livre
 Spectro Editora
 Bukowski
 John Fante
 Sig Schaitel - tradutor do Bukowski
 Ciberarte
 Atire no Dramaturgo
 Espelunca
 Casa dos espelhos
 Mais livros do Bukowski
 Vulva Museum
 Proselitismo Ateu


XML/RSS Feed

Histórico
 26/08/2012 a 01/09/2012
 28/02/2010 a 06/03/2010
 14/02/2010 a 20/02/2010
 07/02/2010 a 13/02/2010
 25/10/2009 a 31/10/2009
 27/09/2009 a 03/10/2009
 20/09/2009 a 26/09/2009
 13/09/2009 a 19/09/2009
 06/09/2009 a 12/09/2009
 30/08/2009 a 05/09/2009
 23/08/2009 a 29/08/2009
 16/08/2009 a 22/08/2009
 09/08/2009 a 15/08/2009
 02/08/2009 a 08/08/2009
 26/07/2009 a 01/08/2009
 19/07/2009 a 25/07/2009
 12/07/2009 a 18/07/2009
 05/07/2009 a 11/07/2009
 28/06/2009 a 04/07/2009
 21/06/2009 a 27/06/2009
 14/06/2009 a 20/06/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 31/05/2009 a 06/06/2009
 24/05/2009 a 30/05/2009
 10/05/2009 a 16/05/2009
 07/12/2008 a 13/12/2008
 30/11/2008 a 06/12/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 18/05/2008 a 24/05/2008
 11/05/2008 a 17/05/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 13/04/2008 a 19/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 30/03/2008 a 05/04/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 30/12/2007 a 05/01/2008
 25/11/2007 a 01/12/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 21/10/2007 a 27/10/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 16/09/2007 a 22/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 02/09/2007 a 08/09/2007
 12/11/2006 a 18/11/2006
 17/09/2006 a 23/09/2006
 10/09/2006 a 16/09/2006
 03/09/2006 a 09/09/2006
 05/02/2006 a 11/02/2006
 15/01/2006 a 21/01/2006
 09/10/2005 a 15/10/2005
 03/07/2005 a 09/07/2005
 13/02/2005 a 19/02/2005
 21/11/2004 a 27/11/2004
 10/10/2004 a 16/10/2004
 05/09/2004 a 11/09/2004
 29/08/2004 a 04/09/2004
 22/08/2004 a 28/08/2004
 08/08/2004 a 14/08/2004
 01/08/2004 a 07/08/2004
 25/07/2004 a 31/07/2004
 18/07/2004 a 24/07/2004
 11/07/2004 a 17/07/2004
 04/07/2004 a 10/07/2004
 27/06/2004 a 03/07/2004
 20/06/2004 a 26/06/2004
 13/06/2004 a 19/06/2004
 06/06/2004 a 12/06/2004
 09/05/2004 a 15/05/2004
 25/04/2004 a 01/05/2004


 
Uretrite: contos de Fonjic
 

Fora do ar

            Finalmente cansei daquela porcaria que era a televisão. De manhã era programa infantil e culinária em todos os canais, depois o jornal que escorria sangue ou se travestia de revista de variedades sobre amenidades e baboseiras. Finalmente de noite novela em todos os canais, depois seguidas dos reality shows mais insuportáveis que se podia pensar. Tinha aquele das pessoas idiotas trancadas num apartamento, o das pessoas idiotas trancadas numa granja, o das pessoas idiotas trancadas numa praia, o das pessoas idiotas trancadas numa empresa ou num estúdio fazendo papel de ridículo. Tédio e estupidez, nada mais, o que me demonstrou que a tevê não servia somente para idiotizar aqueles que a assistem, mas também aqueles que produzem seu conteúdo.

            Finalmente joguei o aparelho no lixo e voltei a me informar do mundo como antigamente, batendo papo com os vizinhos. Certo dia estou chegando em meu apartamento e meu vizinho de porta, o renomado médico doutor Lefácio, me pergunta: Tudo bem? Está difícil esse problema das baratas, não? Cumprimento ele e concordo, sem saber ao certo do que aquele homem estava falando.

            No dia seguinte, venho chegando de noite e noto um carro preto estacionado na frente da porta do prédio, bloqueando a passagem. Que grosseria alguém parar aqui, penso eu, e dou umas batidas na lataria do veículo para chamar a atenção.

            Mas aí o som estranho, uma batida oca, ao invés de som metálico, como se houvesse atingido uma grande casca de madeira ou queratina, e o visco grudento em minha mão. Logo as patas se esticam e a gigantesca barata olha em minha direção e foge, para um imenso buraco cavado no jardim.

            Entro em casa correndo, em pânico. Lavo a mão enojado umas cem vezes. Depois jogo água sanitária. Depois álcool. Penso até em flambar a mão, mas logo reconsidero e bebo o álcool, para esquecer aquilo tudo.

            Acordo na manhã seguinte já mais conformado e ligo para uma empresa especializada, Dofa exterminadores, dizia o anúncio. Eles trazem um tanque de um veneno poderosíssimo, cubeta tosgosa, e me garantem que o problema estará resolvido.

            De fato, nunca mais vi o inseto. No mês seguinte encontro aquele mesmo vizinho que dessa vez pergunta: E o rato, hein? Que problemão, né?

            Concordo e entro e logo em seguida imagino o tamanho que o rato deve ter, se a barata já era maior que um fusca. Faço as malas e decido ir embora. O problema de morar em capital é que tem pragas demais se hipertrofiando ao sugar o governo.

 

.



 Escrito por Fonjic às 16h45 [ ] [ envie esta mensagem ]